Caros leitores acabei há alguns minutos atrás de ver o novo filme do Steven Seagal: Against the Dark. É um filme que se destaca da sua filmografia porque, contrariamente ao usual Steven Seagal não enfrenta terroristas, assassinos em série, mafiosos, membros da indústria petrolífera, etc. Enfim, ele não enfrenta humanos normais, neste caso Steven Seagal enfrenta seres sobre- ou sub-humanos, dependendo do ponto de vista.
Trata-se de mais um filme em que ele é o herói completamente misterioso e capaz de matar tudo o que mexe por rapidez de movimento de braços.

O Argumento

A história começa alguns meses depois do aparecimento de um vírus que infectou grande parte da população transformando-os em seres que têm um apetite por carne e sangue humanos e que são nocturnos. Lembra-vos de alguma coisa? O I Am Legend tinha monstros semelhantes mas a semelhança não pára por aqui, como eu explicarei mais tarde.
Steven Seagal faz parte de um grupo de humanos que entra em áreas cheias de seres infectados e os matam com uma combinação de facas, espadas, armas de fogo e porrada. Basicamente todo o papel dele se resume a isso. Por isso é que a sua personagem não tem qualquer tipo de desenvolvimento ou sequer muitas falas. De facto ele é o herói mas nem de perto nem de longe a personagem principal da história.
As personagens principais são dois grupos de sobreviventes que tentam sair de um hospital para ir buscar um carro. Como sobreviveram até aqui é uma incógnita pois ninguém tem 2 dedos de testa. Um dos grupos de sobreviventes diz que está à 2 meses no hospital a sobreviver porque aquilo é um local seguro. Assim que se afastam um corredor da sua localização vêem-se provas de mutilações recentes, centenas de vampiros, tudo a ocupar o mesmo edíficio que eles a distância relativamente pequenas. Não teriam ouvido os barulhos das outras pessoas a morrerem? O outro grupo é ainda mais idiota, entram por uma janela do hospital, assim que decidem ir buscar o carro ninguém se lembra de sair novamente pela janela. Decidem ir por dentro do hospital cheio de vampiros. Ninguém tem armas, nem me refiro a armas de fogo mas num futuro pós-apocalíptico cheio de monstros a mim ninguém me apanhava sem um pau, bastão, faca, etc. O objectivo é sobreviver não é ser presa fácil. Se os monstros estão mais activos à noite porquê dormir de noite em edíficios cheios de monstros sem sequer deixar ninguém de vigia? Esta e mais umas quantas questões nunca são respondidas mas o que é certo é que nunca irei descobrir como os sobreviventes duraram tanto tempo.
Mas vamos às outras semelhanças com o I Am Legend, não estou agora a falar do filme homónimo do Will Smith(que muito sinceramente fica muito àquem da história que lhe deu origem) mas sim do livro. Os vampiros começam a evoluir até ficarem quase humanos e perderem a necessidade de sangue de maneira a que os monstros passam a ser os humanos porque querem matar os vampiros. E aqui está um ponto que um agumentista com dois dedos de testa saberia aproveitar. Não o fez o argumentista do I Am Legend perdendo a história muito do seu impacto e não o fez o argumentista deste Against the Dark apesar de o poder ter feito em muitas ocasiões.

A não perder

1- As primeiras falas do Steven Seagal não fazem muito sentido. Parecem ter sido editadas sem ligarem muito à lógica do diálogo
2 - O Tenente do exército mais tarde é tratado por Coronel (para quem não sabe isso equivale a 4 promoções) no espaço de 3 horas
3 - As caçadoras que não têm falas e praticamente nenhuma acção
4 - Não há cura mas há pessoas imunes(apesar de no início do filme a narradora dizer que não existe imunidade)
5 - Se o exército funciona porquê mandar caçadores quando podem bombardear tudo?
6 - Usarem o caminho mais longo e cheio de perigos possível em vez de irem pela janela
7 - A miúda sofre de pneumonia mas nem sequer um espirro ou tosse manda
8 - Se o hospital só tem aquela saída por baixo por onde é que os Caçadores entraram?
9 - Ninguém, à excepção dos caçadores sente a necessidade de ter uma arma para se proteger
10 - A morte inglória e fora de camara de uma das caçadoras
11 - A falta de uma história, pathos, motivação da personagem de Steven Seagal
12 - Num edíficio cheio de perigos conversar alto, fazer barulho, não vigiar os corredores parece aumentar as hipóteses de sobrevivencia
13 - Acabou de morrer gente, os vampiros estão em todo o lado mas duas personagens acham ser a altura certa para dormirem
14 - Todo o filme
15 - O trailer é muito porreiro mas o filme não tem nada a ver

Conclusão

É um filme tão mau e estúpido que merece ser visto, especialmente com um grupo de amigos porque não vão parar de se rir com tudo o que acontece. Foi o filme ideal para ver hoje à tarde.

Ficha Técnica
Título: Against the Dark
Ano: 2009
Realizador: Richard Crudo
Duração: 93 minutos
Trailer: Youtube

Em primeiro lugar quero informar os nosso mui estimados leitores que, este ano, o Filmes de Culto vai dar um saltinho ao Fantas. Sim, sabemos bem que o Fantástico já não tem tanta força no festival como antigamente mas após um estudo "cuidado" dos filmes que vão ser exibidos achamos que há pelo menos 2 que merecem a nossa atenção. Depois vamos trazer-vos as críticas...

Entretanto aproveito para vos mostrar a capa de um filme ao qual já tivemos acesso e cuja crítica vai aparecer por cá na próxima terça ou quarta-feira. O seu nome é "Against the Dark" e resume-se a "Steven Seagal Vs Vampiros". Vamos ver o que sairá daqui...

Novo intervalo


Se os meus leitores forem como eu não morrem de amores por intervalos a meio dos filmes. De facto, este é daqueles hábitos irritantes que os cinemas incialmente tinham, depois perderam e que nos últimos anos readquiriram devido, em grande parte, à política da Lusomundo de reinstituir esta "tradição" obsoleta. Hoje em dia vou poucas vezes ao cinema. Das poucas vezes que vou faço o possível e o impossível para evitar os cinemas Lusomundo. Prefiro a pior qualidade dos Medeia. As salas, a projecção e o som são piores, a escolha de filmes não é muita mas o facto de não ter intervalos compensa esses outros defeitos.
Bem, perdi-me um pouco do objectivo que tinha quando comecei a falar acerca dos intervalos. O objectivo era o seguinte: devido a alguma falta de tempo o Filmes de Culto vai fazer um pequeno intervalo de duas semanas. Vou tentar colocar algumas notícias no blog para vos informar das coisas que aí vêm mas a habitual crítica de segunda vai ser suspensa durante esse tempo.
Sejam pacientes, em breve voltaremos.

Como já tinha mencionado no post anterior este é um dos piores filmes alguma vez feitos. O argumento é hilariante e cheio de buracos do tamanho de planetas de tamanho médio (alguns milhares de quilómetros de diâmetro). Os actores são terríveis. Os efeitos especiais, se lhe podemos chamar isso, são maus, muito maus. E a realização deplorável. Mas isso eu já tinha referido vamos ao particular.


O Argumento

Essencialmente o argumento assenta na ressureição de alguns cadáveres que começam a atacar humanos. Os cadáveres estão a ser controlados por extraterrestres que querem matar os humanos. Somos informados que este é o plano 9 dos extraterrestres. Houveram portanto 8 planos anteriores que correram tão mal que os extraterrestres tiveram que recorrer ao uso de 2 zombies e o que parece ser um vampiro. Obviamente estes não são extraterrestes muito inteligentes e confesso que senti alguma curiosidade em saber qual os planos anteriores porque se tivessem metade da estupidez deste também eram hilariantes.

Os efeitos especiais dos discos voadores

A não perder

1 - As cenas onde aparecem os discos voadores (dá para ver os fios em algumas delas)
2 - Bela Lugosi morreu antes da produção do filme portanto o realizador utilizou algumas imagens de arquivo e depois substituiu-o por um outro actor que, apesar de tapar a cara constantemente, só é parecido se estivermos de olhos fechados
3 - A grande explicação para os extraterrestres atacarem humanos
4 - Os voos rasantes dos discos voadores
5 - No cemitério as pessoas passam pelo mesmo caminho em direcções opostas sem se encontrarem
6 - O narrador que parece ser, ocasionalmente, a rábula dos Gato Fedorento do "falam, falam mas não estão a dizer nada"
7 - "Uma particula de luz solar não pode ser vista nem medida"
8 - "Podes ver ou medir um átomo? No entanto podes explodir com um. Um raio de luz solar é composto por muitos átomos"
9 - O final
10 - Um polícia passa uma cena inteira apontando a arma a si próprio. Segundo o actor foi de propósito para ver se o realizador reparava. Obviamente não reparou...

Conclusão

Se gostam de filmes tão maus que se tornam hilariantes este é o filme certo para vocês. Se gostam de cinema em geral também o devem ver porque ele faz parte da história do cinema. Tem cenas de rir à gargalhada de tão mau que é. Merece bem a visualização.

Ficha Técnica
Título: "Plan 9 from Outer Space"
Ano: 1959
Realizador: Edward D. Wood Jr.
Duração: 79 minutos
Trailer: Youtube

Há alguns anos atrás o Paulo, o Fábio e eu decidimos começar este blog acerca de filmes "divertidos". Não foi uma decisão tomada de uma hora para a outra e foi causada por vários factores. Mas aquela pequena coisa essencial que realmente fez a diferença foi vermos este filme: "Plan 9 from Outer Space" ou como é conhecido em Portugal "Plano 9 do Vampiro Zombie" (mais uma bela tradução de um título). Foi realizado por Edward D. Wood Jr. que também é reverenciado como o pior realizador de todos os tempos (podem ver um pouco da sua biografia no fantástico Ed Wood com o Johnny Depp).
É um verdadeiro "clássico" do cinema que nós aqui tanto gostamos e reparei recentemente que nunca tinhamos sequer colocado a crítica no blog. Por isso comecei esta onda de filmes clássicos. Estes últimos filmes que andei a ver foram uma espécie de preparação para o evento principal: Rever o Plan 9.
Por isso na próxima segunda contem com a crítica ao pior filme alguma vez feito. Tão mau que é hilariante...
E por acaso mencionei que tem o Bela Lugosi?

Sem dúvida alguma que este filme é a prova que antigamente também se faziam filmes horríveis. Os extraterrestres são anões dentro de fatos com cabeças gigantescas, o disco voador usa fios para se deslocar e nota-se bem que se trata de um modelo pequeno, a história do touro não tem sentido, os militares estão convenientemente no sítio certo à hora certa. As mãos dos extraterrestres ganham vida própria quando eles morrem, os extraterrestres têm agulhas nessas mãos que são capazes de injectar álcool nas suas vítimas, factor que lhes deve ser muito útil lá no planeta deles. E estava a esquecer-me do principal, os extraterrestres explodem quando expostos a luzes fortes, como por exemplo os faróis de um carro.
Digam-me sinceramente que raça é que, sendo violentamente alérgica a luz forte, vem para um planeta cuja noite demora, no máximo, umas 12 horas? Só se for uma raça de suicidas...

O Argumento

Os extraterrestres invadem um vilarejo nos Estados Unidos e cabe aos jovens da cidade que andam no namoro impedir a invasão. Entretanto o exército americano anda a tentar encobrir a existência destes mesmo extraterrestres.

Um dos anões dentro de uma máscara

A não perder

1 - Os extraterrestres com as suas cabeças grandes
2 - O touro
3 - A personagem do lavrador
4 - As mãos dos extraterrestes que têm vida própria
5 - As agulhas que os extraterrestres têm nas mãos que injectam álcool nas pessoas
6 - A reacção do exército quando um jovem diz que viu um disco voador
7 - "Faz-me um favor e tira tudo o que estiver no frigorífico
8 - A alergia fatal dos extraterrestres
9 - A cena de morte dos extraterrestres
10 - Os diálogos horríveis, os actores horríveis e os efeitos especiais horríveis

Conclusão

É um filme hilariante por ser extremamente mau. Vejam-no se quiserem estar na galhofa com os amigos. Aconselho o uso de pipocas e de álcool. Sugestão: bebam um shot cada vez que aparecer o touro, vão ver que não conseguem chegar ao final do filme.

Ficha Técnica
Título: "Invasion of the Saucer Men"
Ano: 1957
Realizador: Edward L. Cahn
Duração: 68 minutos
Trailer: Youtube

..."A Invasão dos Homens-Pires", desculpem mas não resisti a uma tradução literal do título já que este "Invasion of the Saucer Men" não tem título em português(pelo menos que eu saiba). Trata-se de mais um clássico do cinema de série, mas pelo que dá para ver do trailer ele é muito, mas mesmo muito mau. Vai ser, de certa maneira, uma lufada de ar fresco porque os últimos filmes não têm sido muito cómicos.
Tem naves presas por fios, anões(ou crianças) em máscaras malfeitas, maus diálogos, um toiro, um dos mais rídiculos narradores de trailers de sempre... Bem, vejam o trailer e digam-me o que pensam...


Mais um clássico e mais uma surpresa. Começo a ficar com a impressão de que a série B perdeu muito ao longo dos anos. Enquanto antigamente, e apesar de por vezes os argumentos um pouco malucos, os estúdios realmente obrigavam os seus empregados a fazerem filmes decentes, hoje em dia o hábito parece que se perdeu. Talvez porque o custo dos filmes desceu muito ou então porque os estúdios se podem dar ao trabalho de atirar dinheiro ao lixo (veja-se o caso de Uwe Boll). Seja porque razão for os filmes mais antigos de série B são sem dúvida melhores do que os de hoje em dia, pelo menos aqueles que eu tenho visto...
Este "Invasores de Marte" é mais um bom filme feito com cabeça, tronco e membros e um final inesperado.

O Argumento

Uma noite o pequeno David testemunha um disco voador a aterrar num areal junto a sua casa. Sem demoras ele informa o seu pai, um engenheiro aeroespacial, que vai ver se encontra aquilo que o filho viu no tal areal. Chega a manhã e o pai dele ainda não voltou, a sua mãe chama a polícia. Assim que os dois polícias vão investigar são engolidos pela a areia. O pai do miúdo aparece então mas começa a exibir um comportamento estranho e tem uma cicatriz na base do seu pescoço. Cabe agora ao pequeno David descobrir a sinistra conspiração alinígena e parar os marcianos.

A agulha que permite controlar as pessoas

Aquele globo com a espécie de lula é o líder. O gajo no pijama verde é um marciano.

A não perder

1 - As razões da Invasão
2 - O chefe dos marcianos
3 - O fato dos marcianos (pijamas verdes)
4 - A facilidade com que o exército acredita num miúdo
5 - O final muito estranho

Conclusão

Um filme bom para ver com os amigos. As interpretações dos actores são boas e a edição é impecável. Um dos melhores filmes do género. E o final é, no mínimo, avassalador e aberto ao debate, eu não sei se percebi bem o que se passou... É sempre giro quando isso acontece.

Ficha Técnica
Título: "Invasores de Marte"
Ano: 1953
Realizado por: William Cameron Menzies
Duração: 78 minutos
Trailer: Youtube( aproveitem enquanto ainda cá está, não digam nada a ninguém para que não o removam)


...a nossa próxima crítica. O seu nome é "Invaders From Mars", mais um clássico que nos chega de 1953. Trata-se da invasão da terra por parte de marcianos que trocam pessoas por duplos sintéticos... Promete e além disso é um clássico da ficção científica. Esperem pela crítica na próxima segunda-feira. Entretanto deixo-vos com o fabuloso trailer e o aviso "Podia acontecer AMANHÃ!", pelo menos é o que o trailer diz...

O Monstro da Lagoa Negra

Já não se fazem filmes assim. Hoje em dia é muito raro haver uma atenção a certos pormenores científicos em filmes de monstros como neste caso. Aqui há realmente em cuidado na escrita de argumento e na direcção de actores.
Este Monstro da Lagoa Negra é sem dúvida um dos melhores filmes deste género que já vi. Não será o mais divertido pois tem um tom demasiado sério para que o espectador se ria com o filme e talvez aqui se encontre o maior defeito do filme. Tem um tom sério, o que faz dele um bom filme de monstros mas torna-o ao mesmo tempo num filme algo pesado.

O Argumento

Um paleontólogo descobre parte de um estranho fóssil no Amazonas e convence alguns cientistas a partirem com ele numa expedição até ao local para ver se encontra novos fósseis. Em breve chegam à Lagoa Negra onde uma estranha criatura habita.

A criatura

A não perder

1 - A ciência do filme é muito boa
2 - O momento mais engraçado do filme: o morcego
3 - As cenas subaquáticas são uma obra de arte
4 - A justificação para o estudo da vida aquática

Conclusão

Este "Monstro da Lagoa Negra" é um filme muito bom. Tem alguns planos estranhos mas isso deve-se ao facto de o filme ter sido feito originalmente para ser visto a 3D. É um pouco pesado mas isso não é uma coisa má. Merece bem ser visto com uma mente aberta.

Ficha Técnica
Título: "O Monstro da Lagoa Negra"
Ano: 1954
Realizado por: Jack Arnold
Duração: 79 minutos
Trailer: Youtube

Mensagens antigas